segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Os Muçulmanos na Península Ibérica

A ocupação muçulmana

Os Árabes

A Arábia é uma grande península da Ásia ocidental, banhada pelo Golfo Pérsico, pelo mar Arábico e pelo mar Vermelho. Os Árabes estavam agrupados em tribos independentes, muitas delas nómadas. Dedicavam-se à agricultura, em, pequenos oásis espalhados pelo deserto, à criação de gado e ao comércio com os povos vizinhos.
As suas principais cidades eram Meca e Medina.

Islamismo

No século VII, o sentimento religioso dos Árabes sofreu grandes transformações devido a Maomé e às suas pregações, dos quais resultou uma nova religião - o Islamismo. Os crentes do Islamismo denominam-se Muçulmanos e acreditam num só Deus, Alá.
Toda a doutrina islâmica está escrita num livro sagrado: Alcorão (ou somente Corão, já que "al" em árabe significa "o").

Derrota dos Visigodos

Em 711, os mouros, invadiram a Península Ibérica e venceram os Visigodos na batalha de Guadalete. Passados dois anos, ocupavam já quase todo o território ibérico, à excepção de uma pequena região no Norte da Península - as Astúrias.





Domínio Muçulmano




Os Muçulmanos encontraram na região islâmica e no seu ideal de Guerra Santa um grande estímulo e um pretexto mais que suficiente para a formação de um extenso império.


O território muçulmano na Península Ibérica teve o nome de Al-Andaluz e a sua capital era Córdova, onde construíram um importante califado.


Os Muçulmanos tinham grande poder militar devido à força das armas que utilizavam e também pelos cavalos fortes e velozes que tinham, os quais permitiam deslocações mais rápidas e inesperadas para o inimigo.


Devido à instabilidade e a alguns sinais de decadência, vão chegar à Península Ibérica novos grupos de Muçulmanos, provenientes do Norte de África (Berberes), que vão ser decisivos para a modificação do mapa político ibérico.




Herança Muçulmana


Os Árabes permaneceram na Península Ibérica durante 800 anos, influenciando em todos os aspectos a vida das populações. Alguns dos habitantes peninsulares chegaram a converter-se ao Islamismo, a adoptar os seus hábitos e costumes e a falar o idioma árabe.

As línguas portuguesa e castelhana derivam directamente do latim, mas isso não significa que não se encontrem muitas palavras de origem árabe. A actividade cultural e literária dos árabes foi notavél.

Em todas as grandes cidades da Península existiam ricas bibliotecas. A biblioteca de Córdova, por exemplo, no século X, possuía mais de 400 mil volumes, entre os quais traduções de obras gregas, hindus e persas, poesia e contos.

A língua portuguesa herdou crca de 600 palavras de origem árabe, divididaspor várias áreas, tendo a maioria o prefixo "al", como: algarismo, alface e almofada,

Os Árabes conheciam outras culturas (grega, persa, indiana e chinesa), pelo que serviam de intermediários culturais às populações ibéricas e da Europa, transmitindo-lhes novos progressos e técnicas. De origem chinesa são: o papel, a xilogravura, a bússula e a pólvora; de origem indiana é a numeração, que vai ser adaptada e que dará origem aos algarismos "árabes".

Na indústria, procuraram dar incentivo às artes menores, como a tapeçaria, os curtumes,a ourivesaria, a faiança, a olaria e a vidraria.

Mas foi na agricultura que os Árabes introduziram as maiores modificações:



  • utilização de novas culturas ( arroz, alcachofra, cana-de-açúcar, espargos, amoreira, pessegueiro, damasqueiro, laranjeira e limoeiro);


  • renovação das culturas tradicionais (como a oliveira, a vinha, os pomares e as hortas);


  • aperfeiçoamento das técnicas de irrigação (utilização da nora, de alcatruzes e de canais de rega).



domingo, 29 de Novembro de 2009

Invasões bárbaras

Desde o século III d.c. que o império romano apresentava sinais de enfraquecimento.
Desde o final do século II d.c. que os povos bárbaros pressionavam junto dos limites do Império Romano.O interesse dos povos bárbaros deveu-se à sua ambição pelas terras cultivadas,à organização das cidades e ao clima ameno do sul da Europa, que lhes faltava por causa de serem seminómadas.a pouco e pouco algumas tribos bárbaras infiltraram-se em territórios do Império Romano para se listarem no exército ou para se tornarem colonos.
Os povos bárbaros fixaram-se a norte entre os rios Reno e Danúbio numa região depois designada por Germânia.
Entre os séculos V e VI os povos germânicos criaram um novo mapa político,estando dividido em vários reinos independentes.No caso da Península Ibéria,os dos Suevos e Visigodos.

Reino Suevo

No ano de 409,os Suevos ocuparam a Galécia (a norte do Douro) e o norte da Lusitânia até ao rio Tejo.Eram guerreiros e agricultores que,com as invasões,se transformaram em conquistadores interessados em alargar e conservar os territórios que possuíam.Seguidores do arianismo converteram-se ao Cristianismo.
Braga era a capital do reino Suevo,tendo-se transformado num importante centro religioso e cultural.

Reino Visigodo

Os Visigodos chegaram à Península Ibérica entre 415 e 416 e ocuparam a região centro nordeste da P.I. e estabeleceram a cidade de Toledo como capital. A pouco e pouco absorveram os valores culturais romanos acabando por também adoptar a religião cristã. O Cristianismo acabou tornou-se a religião oficial dos Visigodos pela acção do rei Recaredo, que decidiu criar dessa forma uma unidade religiosa na Península Ibérica, permitindo também o desenvolvimento de igreja. Os Visigodos estavam muito bem organizados jurídicamente e socialmente. No final do século VII a monarquia visigótica começou a apresentar sinais de crise, quando a sucessão ao trono provocou rivalidades.




sábado, 6 de Dezembro de 2008

Romanização

Processo de romanização

Pela primeira vez na história da Humanidade um povo dominou todos os territórios do mar Mediterrânio um "mare nostum",um autentico lago romano.
A Península Ibérica durante 700 anos.
As alterações sofridas pela romanização foram:

-fundação de novas cidades como:
Aque Flavie(Chaves),Bracara Augusta(Braga),Conímbriga,Ebora(Évora),Olisipo(Lisboa),Pax Julia(Beja),Ossonoba(Faro),Scallabis(Santarém);e villae(propriedades agrícolas e edifícios de habitação);

-fixação de população nas zonas dos vales;

-realização de grades obras públicas como muralhas,aquedutos,pontes,estradas,etc...

-adopção do latim como língua dos territórios romanizados.

-etc...


Construção de estradas romanas

Os romanos também deixaram vestígios como:

Conimbriga













Reconstituição da cidade romana "Conimbriga"









Ponte de Chaves








Ruínas de Santiago de Cacém














Outros monumentos


O Cristianismo




O Cristianismo surgiu na Palestina, onde governava o rei Herodes,sob as ordens do Império Romano.

Jesus Cristo é o Deus do Cristianismo.Portugal ficou cristã por causa dos romanos que fizeram com que a maior da Europa fosse critã.

quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Os romanos em Portugal

Conquista romana

Os romanos venceram os Catargineses em 218 a.C.
A conquista romana prolongou-se por 200 anos(entre 218 a.C. e 19 a.C.)e encontrou grande resistência por parte dos Lusitanos.
Apesar de terem um exército forte,numeroso e organizado,os romanos demoraram muito tempo a derrotar os Lusitanos,mas ganhando mais avanço.Os Lusitanos ao repararem que os romanos iam ganhamdo mais batalhas,estes tiveram de intervir,escolhendo um novo chefe,Viriato.

segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Fenícios,Gregos e Catargineses


Os povos do Sul,Sudeste e Sudoeste de Portugal tinham melhores condições de vida eram melhores do que os que viviam a sul do rio Tejo.Esta situação devia-se ao facto da terra ser mais fértil junto às planícies do rio Tejo.
Também a existência de recursos naturais,com o ouro,a prata,o cobre e o estanho,conduziu ao desenvolvimento do comércio na região.
Primeiro os Fenícios,seguidos dos Gregos,e,só depois destes,os Catargineses foram chegando a Portugal com o objectivo de trocar armas,frascos de vidro,tecidos e peças de cerâmica pelos produtos agrícolas e minerais que os povos portugueses tinham.Eram povos que se dedicavam ao comércio.

Fenícios

Os Fenícios chegaram a Portugal à cerca de 3000 anos,vindos da região do actual Líbano e da costa da Síria.Como eram bons navegadores aventuravam-se muitas vezes até ao litoral do Mediterrâneo ocidental.
Os Fenícios criaram o primeiro alfabeto,composto por 22 consoantes,e utilizavam o papiro como suporte de escrita.

Gregos

Os gregos chegaram a Portugal durante o século VII a.C.
Fundaram colónias um pouco por todo o mar Mediterrânio e tornaram-se adversários comercias dos Fenícios.Os Gregos também introduziram a moeda em Portugal.

Catargineses

Os Catargineses chegaram Portugal à cerca de 2300 anos.Disputaram com os Gregos o domínio comercial de Portugal.
A eles se deve a intrudoção da conservação de peixe através do sal.

Os Lusitanos

Lusitanos

Os Lusitanos constituíam uma das tribos dos Celtiberos.Situavam-se entre os rios Douro e Tejo.
A população Lusitana estava dividida em tribos,dedicava-se à agricultura e à pastorícia e viviam em povoados fortificados e isolados no cimo das montanhas(os castros).
Das minas de ferro retiravam o metal essencial ao fabrico de armas.

domingo, 9 de Novembro de 2008

Desenvolvimento dos Celtiberos

Os Iberos

A partir do século 1000 a.C. expande-se por Portugal um povo chamado Ibero.
Os Iberos eram morenos e tinham estatura média.
As suas actividades económicas eram a criação de gado e a agricultura.
Distinguem-se na arte ibera,as estátuas e as peças de ourivesaria.
Os Iberos já faziam exploração mineira de cobre e estanho e trabalhavam o bronze,que utilizavam no fabrico de armas:são conhecidas as suas falcatas(arma composta por uma haste encimada por uma foice).

Celtas

Na primeira metade do século VI a.C. chegou a Portugal um conjunto de povos proveniente do Centro da Europa,a que genericamente se atribuiu a dominação de Celtas.
Os Celtas tinham estatura alta e tinham o cabelo e os olhos claros.
Os povoados utilizados pelos Celtas,denominados castros,eram formados por habitações circulares,de pedra,com cobertura de colmo,cercados por fortes muros de pedra larga situados em pontos altos.




Celtiberos

Da miscigenação entre um conjunto de povos Celtas e dos Iberos terá resultado o povo Celtibero.
As comunidades agro-pastoris viviam em aldeias nos vales dos rios ou no cimo dos montes. Estas últimas, geralmente rodeadas de muralhas para defesa em caso de guerra, são os castros.
As suas casas eram pequenas, de pedra, geralmente circulares, com chão de terra batida e tecto de colmo.
Os Celtiberos encontravam-se divididos em tribos que estavam permanente conflito.Tal como os Celtas,os Celtiberos habitavam em castros.
Os Celtiberos ocuparam Portugal até 133 a.C.,altura em que foram vencidos pelos Romanos.Aos Iberos que já habitavam a Península, vieram juntar-se os Celtas, vindos de Norte, que se fundiram dando origem aos Celtiberos.

Os primeiros povos

Os nómadas

Há muitos milhares de anos o clima era muito frio devido às glaciações.Quase só existiam plantas rasteiras,poucas árvores e animais.
Existiam rinocerontes-lanudos,renas,mamutes,bisontes,ursos e tigres dentes-de-sabre.
O Homem vivia em pequenas comunidades nómadas(dentro de grutas)e praticavam uma economia recolectora.Foi nas cavernas(onde eles viviam)que o Homem primitivo criou a arte rupestre(uma espécie de pintura mas com sangue,nas paredes das cavernas).Para se aquecerem utilizavam o fogo.Fabricavam os seus utensílios em sílex.















Fonte: algarvivo.com/arqueo/top-10/foz-coa.html

Comunidades agro-pastoris

No período neolítico a Ásia e a Europa sofreram grandes alterações climáticas, fazendo com que o clima se tornasse mais quente e seco,o que permitiu surgirem novas espécies de vegetais e de animais como o veado, o javali,o castor e o lobo.
O Homem melhorou a sua forma de viver passam-do a dedicar-se à agricultura e à domesticação de animais, o que permitiu a sedentarização das comunidades.
Ao tornar-se sedentário,o Homem começou a construir os primeiros povoados e passou a usar instrumentos mais eficazes como a foice, a enxada de pedra e a mó manual.Também descobriu novas técnicas artesanais como a cestaria,a cerâmica e a tecelagem.
O Homem deixou de estar tão dependente da Natureza e começou a praticar uma economia de produção.
No 4 milénio a.C.,surgem os monumentos megalíticos:os menires,os cromeleques,os alinhamentos e as antas ou dólmenes.Estes dois últimos monumentos eram monumentos funerários dos povos primitivos.
Na idade do bronze(c. 2000 a.C.-c. 800 a.C.) voltam a registar-se migrações à procura de melhores condições de vida.Foi o caso dos Iberos e depois os Celtas.


Blogue sobre Estudo do Meio - 4º ano

Neste blogue vou publicar o resultado das pesquisas que faço sobre o estudo do meio para completar as aulas e o tpc.
André